top of page
Buscar
  • Foto do escritorCarlos Furtado

HOMENAGEM AO ACADÊMICO PEDRO IVO DE CARVALHO VIANA | Carlos Augusto Furtado Moreira



PEDRO IVO, IMORTAL CELESTIAL


Pedro Ivo tomou assento em uma das cadeiras na Academia de Letras Celestial. Embora sendo uma grande distinção a qualquer mortal, como seu amigo, entristeci-me, porque assim ele se despede da Academia Maranhense de Ciências, Letras e Artes Militares (AMCLAM), uma de tantas confrarias de que ele fez parte no plano terrestre.


Comecei a me perguntar:

— Como farei agora com as missões que lhe repassava e que as executava com tanta maestria?


— Quem o substituirá no mister de buscar, nas suas amizades amealhadas ao longo de sua gloriosa vida terrena, a solução para a resolutividade de ações e problemas que lhe eram apresentados?


— Qual poeta “vestido” de corpo e alma de Soldado, nos emocionará na declamação de poemas?


— Quem vai nos provocar para associar a imagem da AMCLAM às atividades em beneficiar o próximo, tentando nos convencer de que, mesmo com papel cristalinamente respaldado em nosso Estatuto e Regimento interno, a instituição poderia também ser prestadora de serviços comunitários?


Ah! Pedro Ivo! Deixaste-me em uma “sinuca de bico”, como popularmente chamamos, quando as saídas para determinadas ações a serem tomadas são dificílimas.

Recuso-me a aceitar essa mudança.


— Como ficarão nossos projetos? E aquele de publicar seu LIVRO DE POEMAS? Já tinha lhe falado: um poeta de seu naipe não poderia deixar seus amigos e admiradores ávidos por se emocionarem, pois a emoção também faz bem ao coração.


Ah! Sobre a questão de retornar ao Rotary, continuo refletindo com muito carinho — meu padrinho — e, quem sabe, não volte exatamente por ti.


Sabe, Pedro, esse distanciamento vai me entristecer muito, porque tu sabes que és aquele Acadêmico com quem sempre estamos contando, trocando ideias, avaliando inovações, e é impossível substituí-lo, porque as pessoas são únicas.


Mas volto à racionalidade. Está certo, é Deus quem define e toma a decisão.


Onde estiveres, escuta-me, farei o seguinte: vou conversar com a tua família, que a AMCLAM te prestará uma homenagem — vamos publicar o teu LIVRO DE POEMAS.


Sabe, Pedro, pensando melhor, tu não és insubstituível, tu és incomparável.


Um dia, quando me despedi de uma Unidade Policial Militar a qual comandava, recebi uma homenagem que dizia: “Não existem pessoas insubstituíveis, existem pessoas incomparáveis, porque pessoas não podem ser substituídas, apenas sucedidas, como as notas de uma canção que se sucedem, sem, no entanto, substituí-las”.


Portanto, Pedro Ivo, tu serás sempre incomparável e ficarás guardado em meu coração.

Sucesso aí no céu, meu amigo.


São Luís – MA, 04 de junho de 2020.




Comentarios


bottom of page