Buscar
  • AMCLAM

SÍNTESE LITERÁRIA DO HINO DA ACADEMIA MARANHENSE DE CIÊNCIAS,LETRAS E ARTES MILITARES – AMCLAM

Atualizado: Jan 31



Hino da AMCLAM



Síntese Literária do Hino da AMCLAM


Acadêmico Fuad Alexandre Amate


Honrado pelo convite do Sr. Presidente da Academia Maranhense de Ciências, Letras e Artes Militares – AMCLAM – Coronel RR Carlos Augusto Furtado Moreira para fazer uma apreciação sintética da letra do hino da supra citada academia, tratei, imediatamente, de desincumbir-me daquele prazeroso encargo, buscando, junto aos renomados dicionaristas brasileiros Antenor Nascentes e Buarque de Holanda Ferreira, alguns conceitos da palavra hino.


Na sinonímia apresentada pelos dicionaristas consultados, afloraram as palavras canção, cântico, canto, epopeia, poema, como sinônimos de hino dentre as quais escolhi canto, por parecer-me a mais adequada na apreciação em espécie, face a seu significado de “composição poética em louvor de uma divindade, de um herói, de uma nação”.


Daí, a definição: o hino da Academia Maranhense de Ciências, Letras e Artes Militares – AMCLAM – escrito e musicado pelo nosso confrade Francisco Rodrigues (Cadeira nº 25) é um canto de louvor ao mais novo sodalício cultural maranhense, ao seu idealizador, criador, fundador e instalador Coronel PMMA RR Carlos Augusto Furtado Moreira e a todos os seus confrades e confreiras que, unidos pelos ideais científicos, literários e artísticos, compõem a grande e imortal família amclamense.


Pequeno em sua estrutura física, grande, porém, em seu valor histórico e em suas aspirações futuras.


A grandeza de um texto não se mede pela sua extensão mas pela propriedade de suas palavras.


Dividido em três estrofes, bem retrata o velho brocardo latino: “Non quantitas sed qualitas”. Não a quantidade mas a qualidade.


Na primeira estrofe, com quatro versos, apenas, enfatiza a presença do passado através da boa educação e o desenvolvimento de nossa mente através da leitura, o qual nos leva, obrigatoriamente, a resguardar nossa semente, isto é, os nossos valores intelectuais, morais e espirituais que despontam no presente.


A segunda estrofe, composta de oito versos, revência a memória histórica de cada um de seus confrades e confreiras que incentivaram e continuam incentivando, com o seu bom exemplo, a nossa juventude a palmilhar, com dignidade, o caminho da perfeição na evolução.

Na terceira e última estrofe, extravasa o seu acendrado amor pela AMCLAM, cantando orgulhosamente, a felicidade de pertencer à tão nobre agremiação acadêmica por força do destino.


Parabéns ao nosso confrade Francisco Rodrigues que, com a magia da simplicidade de suas palavras, consagrou, definitivamente, o símbolo Lítero-musical da nossa querida e imortal AMCLAM.


Que Deus continue iluminando-o!


São Luís – MA, 18 de novembro de 2019