ACADÊMICOS

EFETIVOS E PERPÉTUOS

ACADÊMICO

cadeira-22.png
Cadeira nº 22

Nascimento: 07 de abril de 1962, filho de Laércio Marques do Nascimento, comerciante, brasileiro, de naturalidade paraibana, nascido no município de Cajazeiras, sendo mais um paraibano que veio para o Maranhão trabalhar e constituir família e Erany Moura Sibalde Marques – comerciante, brasileira, com a formação em Magistério, porém sem exercício na profissão, nascida no Estado de Pernambuco.

Casado com Maria do Perpétuo Socorro Oliveira Marques, em 06/05/1989, de cujo enlace matrimonial nasceram duas filhas: Analéa Oliveira Marques (30/04/1990) e Anaísa Oliveira Marques (12/11/1993), herdeiras da beleza da mãe e talvez um pouco do gênio do pai.

 

O nascimento:

 

No ano de 1962 a Família Marques espera seu segundo filho e por questões de opções a senhora Erany, solicita a ida a cidade de Teresina para completar o enxoval do novo membro da família que estava por chegar, atendida em seu pedido pelo esposo vão a cidade e lá chegando as fortes chuvas impedem o retorno imediato, assim por causa do destino não nasceu mais este varão no Maranhão, por causas naturais obrigou-se a ser registrado na cidade de Teresina onde ficou por mais algumas semanas retornando ao Maranhão, mais especificamente a cidade de Bacabal, onde com muito orgulho se considera maranhense de Bacabal, município onde a família residia e desenvolvia sua independência.

 

Formação Acadêmica/Titulação

 

Alfabetização: A citação do processo de alfabetização se deve a destacar o relato de duas situações que marcaram a vida de acadêmico até os dias atuais, e certamente o acompanharão até seus últimos dias: primeiro foi o fato de ter aprendido com seu pai, homem simples e trabalhador, uma lição sobre valores que internalizou e lhe serve de princípio comportamental como simples dever e obrigação sem merecimentos de galanteios ou aplausos, na infância, no município de Bacabal, interior do Estado do Maranhão, no período de 1962 a 1972, residiu a família Marques e seus dois primeiros filhos, o primogênito e o filho do meio (acadêmico), iniciaram os estudos no Colégio “Nossa Senhora dos Anjos”, que na época tinha na direção geral o Frei Solano, ex-militar alemão, piloto da Tropa de Rommel, a Raposa do deserto, segundo informações, mas sem comprovação formal, e irmã Guidons que era então a responsável pelo Jardim de Infância. O fato é que certo dia no findar das aulas diárias, sendo um dos últimos a deixar a sala de aula, percebeu sobre uma mesa de um colega, uma borracha; mas não uma borracha qualquer, a novidade, ou seja, aquela que cheirava a Ping Pong (goma de mascar), pegou colocou na mochila e pensou: amanhã trago e devolvo. Ao chegar em casa, o pai estava a trabalhar, e se lhe resgata a memória, fazendo a contabilidade de seu comércio; afoito foi a ele e contou o acontecido e que a tinha trago, mas a devolveria no dia seguinte. O pai calmamente chama o motorista da família e lhe solicita: “leve o Laercinho ao Colégio e ele irá colocar a borracha no lugar onde pegou”; ficou em choque e os prantos infantis vieram, porém acatou a determinação, indo ao Colégio e lá chegando encontrou a espera ambos o Diretor e a Responsável pelo Jardim de Infância, somente ouviu do Diretor a seguinte frase: este o levou à sua sala de aula, solicitou que entrasse e colocasse em cima da carteira onde achou a borracha. Sem quaisquer palavras, entregou-o ao motorista, retornando para casa. Inconformado, insistiu com o pai que lhe dissesse o porquê daquela ação. De maneira sóbria e serena este falou: não se pega nada de um amigo, nem de ninguém sem a autorização dele, pois, no caso de esquecimento, entregue a responsáveis. E este forneceu a moral da história: quando se pega algo de outros mesmo para guardar e devolver, pode acontecer o fato de perder e se isto acontece, levantará na mente do amigo ou do dono do objeto a suspeita eterna: será que ele perdeu mesmo ou ficou. Com tal suspeita a amizade nunca mais será a mesma. Evite sempre fazer isto.

Segundo, foi o fato de uma visita de um amigo mais humilde, seu Pai sentando a cabeceira da mesa, lugar seu de direito, observou que nosso amigo se encontrava encabulado, pois tinham muitos talheres à mesa e que para ele era um banquete. O pai chamou a nossa Mãe e disse: Erany, por favor recolha todos os talheres, pois hoje é o dia da colher e todos nos comeremos de colher, ela sequer retrucou e cumpriu o solicitado, nosso amigo esbaldou-se, comeu tanto que passou mal, sendo que uma Coca-cola resolveu. Depois ao perguntar a meu pai o porquê daquele ato, este me relatou: “quando se quer ser amigo de alguém e o considera, não se deve cometer, nem permitir que alguém cometa algo que o contrarie, pois, até a amizade criar solidez, deixe-o à vontade, observe que na próxima vez que seu amigo vier fazer alguma refeição conosco, não se sentirá acanhado em solicitar uma colher”. Moral da história: quando se quer a amizade de alguém deve-se oportunizar sua aproximação.

 

1° Grau: Colégio Maranhense, como era chamado o Colégio Marista – 1975.

2° Grau: Colégio Marista / MENG – 1978.

Graduação 01: Administração pela Universidade Estadual do Maranhão (1985).

Pós-Graduação 01: Especialização em Administração Municipal (1992).

Graduação 02: Graduação em Curso Emergencial de Licenciatura Plena para a Graduação de Professores da Parte de Formação Especial do Currículo do Ensino de 2° Grau – Esquema I, pela Universidade Estadual do Maranhão (1985).

Pós-Graduação 02: Especialização em Metodologia do Ensino Superior/1995.

Mestrado: Engenharia Mecânica na área de Planejamento e Gestão Estratégica da Manufatura pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2004).

 

Atuação Profissional

 

Prefeitura Municipal de São Luís (PMSL). 1988 até apresente data.

Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). A partir de 1992, Professor Convidado e contratado, ministrou disciplinas durante o período de cinco anos. A partir de 1997 concursado e aprovado para a Disciplina Organização & Métodos no Curso de Administração da UEMA.

Professor de 2° Grau do Estado do Maranhão. Aprovado em concurso público lotado por vários anos no Centro de Ensino de 2° Segundo Grau Coelho Neto.

 

Trabalhos Escritos para Obtenção de Titulação

Mestrado 2002/2005 – Dissertação: “O Planejamento e a Gestão Estratégica como Instrumentos Indispensáveis para o Crescimento Auto Sustentável do Município da Raposa no Estado do Maranhão”. Área De Conhecimento: Administração.

Especialização em Metodologia do Ensino Superior 1993/1995 – Monografia: “O Departamento e suas Atividades no Curso de Administração do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da UEMA”.

Especialização em Administração Municipal 1991/1996 – Monografia: “Abordagem Sistêmica da Atividade de Material da Prefeitura Municipal de São Luís”.

Graduação em Administração 1981/1985 – Relatório de Estágio Supervisionado na Área de Material da Câmara Municipal de São Luís, Setor Administrativo.

Graduação ESQUEMA I 1993/1996 – Monografia: “O Apoio Logístico nas Áreas de Material e Pessoal às Atividades de Ensino no Centro de Ensino de 2° Grau Coelho Neto”.

 

Curso de Administração

 

Participação em várias Bancas Examinadoras como Orientador;

Participante como membro de várias Bancas Examinadoras em Monografias;

Participante em várias Bancas Examinadoras - Esquema I, como Orientador;

Participante como membro de Banca Examinadora - Esquema I;

Participante em várias Bancas de Monografias do Curso de Formação de Oficiais (CFO), como membro de Banca Examinadora;

Participante em várias Bancas de nível de Cursos de Especialização.

 

Produção de Livros

- Maçonaria sem Dúvidas;

- Maçonaria em Versos;

- Rito Adonhiramita.

 

Participação em vários Trabalhos

 

Participação em Banca de Processo Seletivo de Monitoria;

Designação para compor o Colegiado do Curso de Administração como Membro Titular, com mandato de 02 anos. 13 de mai 2009 (UEMA);

Coordenador do Projeto Maçonaria Unida Contra as Drogas.

 

Palestrante em vários Eventos

 

Certificados de Reconhecimentos e Diplomas

 

Rotary Internacional. Rotary Club São Luís Anil Distrito 4.490 - pelos relevantes serviços prestados em prol de uma sociedade com pleno exercício de sua cidadania.

Grande Oriente do Brasil no Maranhão (GOBMA) - pelo exercício no cargo de Grande Secretário Estadual de Educação e Cultura da Potência Maçônica.

Acadêmico Efetivo e Perpétuo – Academia Maranhense de Ciências, Letras e Artes Militares (AMCLAM), ocupante da cadeira nº 22 que tem como patrono José Rui Salomão Rocha.

 

Certificado de Participação

 

UEMA, Curso “Comércio Exterior e Emprego: Encontros e Desencontros de Uma Esperança Anunciada”.

Instituto Brasileiro de Administração Municipal, Escola Nacional de Serviços Urbanos - Curso “Administração Tributária Municipal”.

Instituto o Homem - Seminário: “Município, Cidadania e Desenvolvimento Sustentável”.

SEBRAE. Treinamento Empresarial - Curso de “Reengenharia, A Destruição Criativa”.

Instituto Histórico da Maçonaria Maranhense (IHMM) - Diploma, na qualidade de Sócio Fundador, Patrono e primeiro ocupante da Cadeira 02 do Sodalício.

Academia Arariense – Vitoriense de Letras - Certificado de Honra ao Mérito.